Conectar com o nosso bebé na gravidez

Lindas palavras de Vânia Tavares ao seu bebé, grávida de 28 semanas <3

Acima de tudo, quero que sejas feliz.
Acima de tudo e acima de nada.
Porque é apenas isso que eu quero.
Não quero saber se detestas as coisas que eu gosto e se gostas de coisas que eu detesto. Quero que sejas tu. Quero deixar-te crescer livremente.
Quero que brinques muito, muito! Quero que descubras, que explores, que faças muitas muitas muitas muitas perguntas.
Quero que saibas que ninguém manda em ti e nunca deixes que te digam “uma menina não pode fazer isso” ou “isto é só para meninas, os meninos não podem” ou “tu não és capaz”. Tu fazes o que bem te apetecer e és capaz de tudo o que quiseres!
Lembra-te: ninguém manda em ti.
Mesmo que, inconscientemente, eu queira mandar, eu não mando. Eu dou-te conselhos, faço-te pedidos, dou-te sugestões, guio-te, oriento-te, dou-te apoio e carinho, mas eu não tenho autoridade nenhuma.
Não tens de fazer o que eu faço, tens de fazer e ser o que tu sentires.
Não quero que sejas competitiva – ninguém é melhor nem pior que tu. Quero que respeites as diferenças, as capacidades e as dificuldades dos outros.
Não tenhas medo de me contar o que quer que seja, mesmo que penses que fizeste a asneira mais grave do mundo, não fizeste.
Lamento, mas televisão não vai ser algo muito usual nas nossas vidas. Vamos mas é à biblioteca, ao parque, ao jardim, ao rio, à praia… Vamos mas é passear e descobrir tesouros em cada rua.
Quero que corras livremente, que te sujes dos pés à cabeça, que esfarrapes os joelhos, que grites, que rias alto, que cantes, que dances, que te expresses sem receios e sem barreiras. Quero que andes descalço nas pedras, na terra, na lama, no chão… onde quiseres. Quero que as tuas mãos experimentem todas as texturas. Se te apetecer comer com as mãos, come. É tão bom!
Não tens de dar beijinhos nem abracinhos a quem não queres dar, mesmo que insistam, tu é que sabes. Só tens de falar com quem te apetecer falar. Acima de tudo, quero respeitar o teu espaço.
Não te quero obrigar nem pressionar a nada, essas palavras são feias, agressivas e insensíveis.
Podes cair quantas vezes precisares, vou estar sempre lá para te levantar e aconchegar.
Tu não tens de concordar sempre comigo nem eu contigo, mas temos de nos respeitar. E respeitar é muito mais do que dizer “eu respeito”.
Não estejas à espera de muitos brinquedos caros e sofisticados, quero é que puxes pela imaginação e brinques com a terra, com as pedras, com os paus, com as folhas, com caixas de cartão, com tecido, com os mais diversos materiais.
Se quiseres comer à vontade, prefiro deixar-te saborear a comida ao teu ritmo, em vez de estar feita parva a cantar músicas da treta enquanto tu apenas abres e fechas a boca como se fosses um boneco. Leva o tempo que necessitares, delicia-te, lambuza-te, conecta-te com a comida. Brinca com a comida. Sim, não há mal nenhum em brincar com a comida, não é sinónimo de desperdiçar ou estragar. Quero que te sintas bem a comer, que gostes de comer.
Não tenho certezas nem planos. Só sei que te quero ver desabrochar! Observar e explorar o teu potencial!
Sei que vou errar muitas vezes (quem não erra?). Sei que não sou dona da razão. E sei que me vais ensinar muito! E eu quero tanto aprender contigo!
Ninguém sabe o que está certo ou errado, cada um sente à sua maneira. Somos todos diferentes. Desde que haja amor, está tudo bem.
Quero-te, tal como és.
Eu incentivo-te a fazer, eu ajudo-te, eu observo-te, eu apoio-te. Mas não me parece correcto fazer por ti. Se tu consegues fazer, se tens capacidades e condições para o fazer, és tu que deves fazer. Quero dar-te autonomia, confiança, auto-estima e independência.
As minhas mãos estão aqui para te agarrar. Quando desejares. Os meus braços estão aqui para te envolver. Quando desejares. A minha voz está aqui para te apaziguar. Quando desejares. O meu coração está aqui para te amar.
E todo o meu ser está aqui para responder às tuas questões. Quando desejares.
Da mesma forma que também me calo e também me retiro, quando desejares.
O que importa se não correu como querias? Voltas a fazer. Voltas a tentar. Tens uma vida pela frente. E eu também.
Uma vida para me emocionar com cada passinho teu, cada palavrinha, cada perguntinha, cada respostinha, cada gargalhada, cada descoberta, cada conquista.
Quero lá saber quanto tempo demoras a fazer isto ou aquilo, quero lá saber com que idade aprendes isto ou aquilo. O tempo, a pressa, a idade… são apenas parvoíces inventadas por quem não sabe apreciar a vida. O que eu quero mesmo é que saboreies a vida. À tua maneira. Não há apenas uma maneira de saborear a vida, não. Cada um tem a sua!

Vânia Tavares

Aqui a sua página de autora:
https://www.facebook.com/vaniaitavares?__mref=message_bubble

No próximo dia 5 de Maio de 2018, começa uma nova turma do nosso curso de preparação ao nascimento e parentalidade, mais informação aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *